terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Cantinho da resposta, Responde: Estou estressada!

Tenho muitos afazeres e não vejo muito a participação do meu esposo para comigo.
Diante de tudo isso, tenho ficado muito estressada.
Temos cinco anos de casados e uma filha de um ano. E fica tudo para mim. 
E devido estas circunstâncias temos brigado muito. O que fazer nesta situação?

Ana Julia - Minas Gerais

Olá Ana Julia,
Que prazer poder ajudá-la!


A verdade é que o tempo tem passado rápido demais e devido a falta de disciplina e organização, o estresse é iminente.
Procure refazer o seu dia, anote o que você tem de fazer, use uma agenda. E siga a risca.
Converse tranquilamente com o seu esposo, lhe passe tarefas básicas, mas que pode lhe ajudar muito, como levar o lixo para fora, secar a louça, dar mamar para a nenem. Mas claro, veja se ele concorda, afinal essas tarefas cabe a dona de casa, no caso, nós mulheres. Mas não custa nada o esposo ajudar, até porque com uma mulher bem descansada, humorada e com um tempinho livre, quem ganha é o marido.

Separe suas tarefas em dias alternados, e não queira fazer tudo de uma vez. Separe um tempo para cuidar de você, da casa, da nenem e do seu esposo, nem que para isso, você sacrifique um pouquinho e acorde mais cedo do que o de costume.

E talvez seu esposo, não lhe ajuda, talvez seja devido você gritar, mandar, e por já estar estressada querer estressa-lo também e as coisas não funcionam assim.

Respire fundo, viu que as coisas em casa está de perna para o ar e seu esposo, está bem ali, largado na frente do sofá, trocando de canal.

Respire e relaxe, gritar, só vai piorar. Faça somente o que der para fazer e aproveite para sentar do lado dele também, afinal, você merece um descanso também. Ele com certeza vai ficar com vergonha e vai querer lhe ajudar, mas que isso seja espontâneo, não o cobre, não fique falando, tem horas que os homens ficam na caixinha do nada e ai, esquece, porque senão vai se estressar a toa.

Não fique com raiva, e nem fique guardando coisas em seu coração. Eu sei que mulher tem dessas coisas de ficar guardando tudo, para depois despejar tudo de uma vez, mas isso não é legal.

Se por um momento sentir raiva, vá até a cozinha, tome um gole de água, respira e chame seu esposo para conversar, se não saber se expressar sem falar alto, escreva lhe uma cartinha com o que sente e pede uma resposta a ele. Depois entregue os dizeres da carta a Deus. Não queira agir com a força do braço, um casamento feliz, tem de viver de reparos, um conserto aqui, outro acolá e assim os dois vão se encaixando e tudo vai dando certo.

E para finalizar, sempre que tiver que conversar com seu esposo, converse a sós, ou durante um horário que a sua bebê tiver dormindo. Até mesmo para ela não atrapalhar a conversa de vocês e também para que não veja seus pais  em um momento exaltados, não é bom para a criança, ok?

Procure sempre ser doce e gentil, não importa as circunstancias, você vai vencer!

Na fé
Estarei orando por vocês.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Diário de Anita - Porque não ver a realidade? Capítulo 27 - Buscando forças em Deus


Acordei muito assustada durante a noite, tive um pesadelo horrível.
Me revirei na cama e não consegui dormi.
Levantei fui ao banheiro, passei uma água no rosto para me despertar de vez e uma voz bem baixinha falava dentro de mim, - Filha fale comigo.
Não sei porque estava tão agitada daquele jeito, meu dia foi tudo normal...
Dobrei os joelhos aos pés da cama e me coloquei a orar.

-Senhor, peço que tire esta agitação de dentro de mim, sinto uma certa palpitação em meu coração.
Pai, se fiz algo que não lhe agradou, me perdoa Senhor, embora eu não lembre de ter feito nada errado Jesus!, mas me ajude assim mesmo, por favor.

Logo após estas palavras, peguei um livro na cabeceira da cama e comecei a ler até o sono vir.
Não demorou muito e já estava em paz, meus olhos pareciam pesados, deixei o livro ao lado e cai no sono.

-Bom dia Filha!
-Bom dia mãe.
-Pronta para ir para a igreja com a mãe?
-Mãe se importa se eu ficar hoje?
-Como assim filha?
-Estou um pouco cansada!
-Filha, não podemos ter cansaço para Deus, não é justo e além do mais os seus amigos do grupo jovem estão a lhe esperar!
-Tá ok mãe, vou me arrumar.
-Tá bom querida, mas vá rapidinho, também não podemos nos atrasar para Deus...

Depois do culto vi minhas amigas e que saudades que estava delas, elas eram um amor.

-Querida Anita, estávamos com saudades.
-Oi Meninas, também estava!
-E como esta a sua vó?
-Agora, está bem melhor , Graças a Deus!
-Amém!
-Anita, hoje a tarde, teremos um teatro no nosso grupo e será muito bacana a mensagem a ser passada...
Pode vir hoje a tarde, podemos contar com a sua presença?
-Que bacana, um teatro!?
-Virei sim, e desta vez, quero ver se consigo trazer meu namorado...
-Que bacana, traz ele sim.
Então até mais tarde, Carol, Jaque
-Até

Sempre me sentia muito bem quando saia da igreja. As pessoas eram tão abençoadas por lá.
Mamãe nunca desistiu de mim, e sempre me deu forças para que eu pegasse firme. No começo relutei um pouco, mas não queria chateá-la. Comecei a ir por curiosidade, mas depois acabei gostando e me sentia muito em paz toda vez que frequentava.
Meu pai e minha mãe sempre buscavam forças em Deus, e eu passei a admirar isso!



sábado, 24 de janeiro de 2015

A coroa do Marido


A mulher exemplar é a coroa do seu marido, mas a de comportamento vergonhoso é como câncer em seus ossos. 
Provérbios 12:4


Estava meditando nesse versículo e quero compartilhar com vocês...

Vamos por parte: a mulher exemplar é a coroa do seu marido...
E o que isso significa?

Só usa uma coroa, quem é autoridade, quem tem poder, quem é muito respeitado, como por exemplo um rei, a mulher exemplar é aquela que não envergonha o seu  marido, que faz o tempo para cuidar das coisas dele, das tarefas domésticas, de lhe dar atenção, que lhe é agradável, que não deixa a desejar, maneja bem a sua casa, que não é histérica e nem fica aos gritos...

...Mas a de comportamento vergonhoso é como câncer em seus ossos...

Um pessoa com uma enfermidade, ainda mais como câncer, é uma pessoa fraca, debilitada, sem autoridade, não tem muita escolha, e algumas pessoas até a vejam com dó, devido o seu sofrimento, assim seria o homem, cujo a mulher o envergonha, é uma desvairada, que não respeita, não cuida da casa, retruca e murmura se ele não a ajudar. Tudo é motivo para a briga e ele já debilitado com tanta arrogância prefere empurrar com a barriga, a fim de evitar um divórcio, esse casamento é um verdadeiro caos. O seu ego é anulado e para ele esse casamento já está falido faz tempo, mas o que fazer?
 Essa esposa vê seu papel de esposa como um fardo, como um erro, porque nela não há respeito algum...

É muito triste não é verdade?

O casamento tem de ser sagrado e independente da modernidade dos dias de hoje, se não for pautado na palavra de Deus, irá falir.
Cada um tem de estar no seu devido lugar.  
A esposa tem de ser sábia e estar sempre servindo, honrando o papel que Deus lhe Deus.
Já o marido, também tem de ser sábio, protetor e não deixar faltar nada em casa.
Obedecer o que Deus lhe ordenou.
Se há esse reconhecimento, então haverá vitória.
A mulher tem de ser como uma boa companheira, amável e dedicada e o marido como o provedor, o protetor e um companheiro fiel.
E agindo Deus, quem os impedirá?

Na fé...

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Diário de Anita - Porque não ver a realidade? Capítulo 26 - Entre conversas e risos, um plano...


A Mari era muito minha amiga, e eu gostava muito dela, mas eu não gostava da vida que ela levava.
Sempre foi muito agitada, desapercebida, em casa ela tinha conflitos com sua família, seus pais eram separados e ela tinha mais dois irmãos, um de 20  e outro de 5 anos.
Sua mãe trabalhava e também contava com a pensão que o pai mantinha, o Senhor Valter era gerente de banco e havia casado e constituído outra família. E esse casamento para Mari era muito duro, pois nunca conseguiu se acertar com a madrasta e desta forma  quase não tinha vínculo com o seu pai...


-Anita, vamos marcar um cinema aqui na sua casa e assim amiga eu durmo aqui com você.
Nunca mais tivemos um dia de meninas, lembra?
-Nossa e como lembro!, minha mãe quase nos matou devido a última bagunça (risos)
-Mas dessa vez sem bagunça (risos)
-Combinado, pode ser sexta para o sábado?
-Se não for atrapalhar amiga!
E o Augusto, convida ele para vir assistir um filme com a gente, vai ser legal!
-Vou ver com ele, se ele topar, o que acho meio difícil, aquele ali ...(risos)

No fundo a Mari era uma pessoa legal e eu sempre a convidava para  ir a igreja comigo, acho que ela precisava achar esta paz que eu tinha encontrado, ela sempre se esquivava quando o assunto era igreja, eita coração duro, mas sabia que ela um dia ela iria ceder!

Nos despedimos e Mari foi embora e eu só precisava de um bom banho e cama, estava mortinha de calor.
Gostei muito da ideia da Mari, ela sempre foi muito divertida e não tínhamos tempos assim fazia tempo, agora era ver se o meu lindo e amado Augusto iria topar...

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Vida de sacrifício, eu escolho o altar!

Olá queridas leitoras,

Estes dias estive na correria aqui e não atualizei com tanta frequência o blog como eu gostaria, me perdoem!


Enfim, hoje quero compartilhar com vocês uma experiencia que tive um dia desses...

Meus pais seguem vidas diferentes há muitos anos, minha mãe casou-se novamente e meu pai continuou sozinho.

Eu sigo uma vida para o altar, pois sou esposa de pastor a quase oito anos, e sigo esta vida com muita alegria no meu coração, pois desta forma alcanço muitas pessoas sofridas pelo caminho que passamos e tenho a oportunidade de lhes por um fim ao seu sofrimento, falando do meu querido Jesus e ela tomando uma atitude.

Mas nem tudo são flores pelos caminhos, fazemos renúncias e sacrifícios e uma delas é seguir por onde o vento soprar e muitas das vezes, vamos cada vez mais para longe de nossos pais, irmãos e outros familiares, vivemos pela fé e amém por isso! Despojamos dos nossos sonhos para vivermos os sonhos de Deus. Viver é Cristo...

E...

...Um tempo atrás, fui visitar o meu pai em sua casa, uma coisa que não fazia a muitoooo tempo. Mas que eu prometi a mim  mesmo que mudaria isso, dando lhe mais atenção,  foi até uma meta pessoal minha para o Godllywood!

Mas...

...Ao chegar na casa de meu pai, ele nos recebeu surpreso e logo depois começou a abrir o seu coração, que aliás estava cheio de mágoas do passado, (das quais ele viveu e sofreu) coisa que ele ainda não conseguiu vencer porque ainda não teve um encontro real com Deus.

Suas palavras foram duras e doídas, e eu não pude conter as lágrimas... A situação era muito triste, meu pai precisava urgente de Deus.

Falei para ele umas palavras duras e verdadeiras, queria mostrar que só Jesus poderia salva-lo daquela vida conturbada. Mas eu não soube me expressar da forma da fé que eu queria,  porque ao invés de usar a fé, usei o coração e quando você usa o coração você fica frágil, chora e bloqueia a fé...

Eu poderia falar- lhe da fé, poderia falar mais de Jesus, poderia até disfarçar e mudar de assunto...mas não foi o que eu fiz: Voltei no passado a exatos 24 anos quando ele nos deixou ainda pequenos e falei sobre ausência dele na época, mas Eu Juro, não era isso que eu queria falar. (corrupto coração) E claro que meu pai não gostou nadinha.

Para não agir mais ainda pelo sentimento e falar mais coisas ainda, eu dei lhe um beijo, disse para ficar com Deus e vim embora, meu pai ficou sem reação... Eu não fiz certo, deu tudo errado...

Eu sai de lá muito chateada, pensando que meu pai não tinha motivos para falar nada sobre o que falou, ele não sabe e nem entende a nossa vida, não sabe a correria que é, quando vamos visitar nossos familiares, é claro que não temos como ir ver todos. E não é com frequência que conseguimos vê-los, mas o meu pai como ainda não é da fé, é claro que ele não entende que eu tenho uma vida para o altar...

Já em casa, dobrei meus joelhos e orei, pedi perdão para Deus pela minha fraqueza, bloqueei os meus sentimentos e usei a fé e Deus falou mansamente comigo.
Pude reconhecer que o diabo sempre vai querer lhe por para baixo e usando muitas das vezes pessoas que você ama.
Eu não aceitei ficar com aquelas palavras do meu pai dentro de mim e muito menos ficar cabisbaixa e triste, porque era isso que o diabo queria, mas eu o amarrei e usei a fé.

No dia seguinte, enviei-lhe uma  mensagem  para apaziguarmos a situação, me coloquei no lugar dele, que mora sozinho e vive praticamente na solidão.
Hoje vejo que o que o meu pai falou, mesmo do jeito ranzinza dele era que ele queria um pouco de carinho, que sente falta da família dele, que está cansado de ficar só. Mas tudo isso infelizmente ele plantou... e só Jesus para Salva-lo.

Eu acredito em milagres e sei que Deus irá converter o meu pai, pois eu não desistirei dele jamais. Só Deus sabe dos meus propósitos...

Pra você ver: quando traçamos uma meta, temos um foco, o diabo logo irá se levantar, querendo impedir a nossa benção, mas ele está amarrado! O meu pai já é causa ganha para Deus!

Moral da história:
Quando usamos o coração ao invés da fé, ficamos cegas e surdas, bloqueamos a voz de Deus dentro de nós, devemos sempre nos policiar e jamais nos limitar, não é porque somos de carnes que devemos viver pelos sentimentos, temos de viver pela fé, para alcançarmos a Vitória.
Usar a fé também significa  usar a razão contando com o apoio e a ajuda de Deus.
Vai ter momentos duros em sua vida, mas você precisa ser forte e não quebrar o seu elo com Deus. Se tem um foco, não desista, vá em frente, persista...
Deus não falha!

Em breve quero voltar aqui para contar um grande testemunho sobre o meu querido pai. Deus vai honrar e ele vai ser ainda um grande homem de Deus e muito feliz...

A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o SENHOR dos Exércitos, e neste lugar darei a paz, diz o SENHOR dos Exércitos. Ageu 2:9

Na fé

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Diário de Anita - Porque não ver a realidade? Capítulo 25 - Tendo uma conversa franca...


Os dias passavam depressa, eu já havia começado o cursinho do vestibular. Mas um ano de estudos intenso.
Estava me preparando para prestar a faculdade estava em dúvida de duas: Fisioterapia e Administração de Empresas, vamos ver o que ia dar!

O Augusto andava meio enciumado, estava me buscando todos os dias no cursinho, sei lá estava um pouco diferente.
Até que resolvi ter uma conversa franca com ele.

-Amor aconteceu alguma coisa?
-Ultimante você anda diferente e até parece que está com ciúmes de mim (risos)
-O que foi?
-Amor, depois que ficamos um tempo separado, lembra? Você se envolveu com alguém, algum amigo, ou alguém da sua igreja?
-Que Pergunta Augusto, claro que não, porque?
-Não, nada não?
-Só tinha essa curiosidade!
-Ta bom! e você se envolveu com alguém?

Augusto ficou branco como papel, e começou a gaguejar...

-Não amor, imagina!

Augusto terminou sua conversa por ali mesmo, antes que Anita lhe fizesse mais perguntas...

Com o passar dos dias Augusto ligou para Mari...

- Alô Mari,
-Esclareci Aquela questão com a Anita e o que você disse não tem nada a ver!
-Olha eu não quero que você fale mais da Anita, se você se diz assim tão amiga dela, é bom então você cuidar dessa amizade.
-Nossa Augusto, que isso cara!
-Olha você não entende mesmo né?
- Mas tudo bem, se não quer que eu fale mais da Anita para você tudo bem, não vamos brigar por isso!

Mari sabia muito bem o que queria, o que devia e o que não devia fazer, e o que ela menos queria era distanciar Augusto dela.

Mari, que bom que você veio em casa Amiga!
-Queria mesmo te ver e contar algumas novidades do cursinho!
-Ai Nita, corajosa hein, você com este cursinho.
-Amiga, você não pretende cursar faculdade?
-Não sei, agora não miga, to sem cabeça pra isso!
-E lá no trabalho tudo bem?
-Tudo, mas quero sair de lá, o que ganho é uma mixaria, não dá pra nada miga.
-É duro isso né?
-Feliz é você que em precisa trabalhar para bancar suas coisas!
-Ai amiga por enquanto, mas logo começarei a trabalhar, mas meus pais querem que eu comece a faculdade primeiro para então ingressar na minha área.
- Sortuda você de ter uns pais tão legal e ricos.
-Ai Mari, não é bem assim!
-Mas amiga me conta! e você e o Augusto, como estão?
-Bem amiga, graças a Deus
-Um dia podíamos programar de sair os três o que acha? Ando tão sozinha amiga?
-Você tá sozinha?
-Tô sem ninguém, desde o Kleber meu último ficante, sei la amiga, os homens hoje em dia estão  tão dificieis.
-Eu só arrumo picareta, sabe cansei!
-Ai amiga, isso é difícil, mas você não vai encontrar ninguém nestas baladas doidas que você vai, tem de procurar alguém sério, responsável e trabalhador.
-Pois é amiga... estou procurando alguém assim!

Mal sabia a Anita que este alguém em que Mari se referia era o seu namorado, que golpe grande seria para ela, que confiava tanto nesta amiga da onça...



sábado, 10 de janeiro de 2015

Diário de Anita - Porque não ver a realidade? Capítulo 24 Voltando para a casa...



Que Delícia voltar para a minha casinha linda!
E que benção a minha vó está tão bem!

Augusto e papai, foram nos buscar no aeroporto, fico feliz que eles já estão se entrosando...
Papai, não largava a mamãe e via repetindo que estava com muita saudades, que ela fez muita falta! Era lindo ver os dois, eram minha referencia.

Já em casa, Augusto estava um pouco calado.
-Amor, aconteceu alguma coisa?
-Não amor, porque?
-Você está tão quieto, não está feliz em me ver?
-Estou, claro...

Neste momento o celular de Augusto toca, mas ele não atende

-Quem é amor, não vai atender?
-Não, não, depois eu retorno...

Almoçamos em casa, e o almoço estava tudo de bom, a Nélinha que trabalha conosco tem uma mão, as refeições eram sempre muito gostosas...

-Alô
-Oi Nita, já chegou?
-Já sim amiga, tudo bem por ai?
-Sim e a sua vó como está e você?
-Graças a Deus estamos bem, obrigada! A vovó está recuperada, mas sobre cuidados, mas não corre nenhum risco, graças a Deus.


-Quem á amor? - Pergunta Augusto-É a Mari
-Ah! murmura meio sem graça Augusto!

-Amiga, atrapalho?
-Não Mari, estou aqui em casa, o Augusto também está aqui?
-Ah tá?
-Ai Amiga, queria tanto te ver, posso dar uma passadinha rapidinha ai?, prometo não atrapalhar nada (Risos)
-Vem amiga, vou estar te esperando, beijos
-Beijos

-A Mari, está vindo para cá amor, você lembra dela né?
-Ah, lembro sim!
-Bom então eu vou embora, não quero atrapalhar as amiguinhas!
-Nada disso amor, permaneça sentado que irei pegar um suco para nós..
-Não Anita, eu tenho de ir...
-Amor por favor, eu disse para a Mari que você estava aqui, não faça essa desfeita!
-Eu já volto!

Augusto ficou muito pensativo, primeira vez que os três se encontrariam tão próximos e na casa da Anita.
E além do mais, poucos minutos antes Mari, havia ligado em seu celular, ela não desistia.
Como que Augusto iria reagir diante de duas mulheres que lutavam pelo mesmo objetivo: Ele!

Seguidores